sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

O Jumentinho e o Rei

Escrevi esse hino em 2004, se me lembro bem. A principio fui tocado pela poesia do quadro da entrada triunfal de Jesus em Jerusalém sobre o pequeno animal. Na época foram apenas duas estrofes, a primeira e a segunda. De qualquer forma, foi mais uma canção que foi para " a gaveta ". Em 2005 - creio eu - Deus me apresentou ao meu Ir. Gerson Silva. Na verdade foi ele quem descobriu o valor da canção, e agregou a ela a sensibilidade de sua harmônica ( espécie de gaita ). Ainda assim, faltava alguma coisa, que eu não sabia o que era, de modo que fiquei atento  ao que o Espírito diria no Seu Mover. Encontro Nacional de Pastores no Ginásio da Portuguesa em São Paulo. Algumas mensagens ali apontaram o caminho para a terçeira estrofe, que foi concluída nos dias do próprio encontro, mas não conseguimos canta- lo na ocasião.  Mas foi só em São Carlos alguns anos depois, numa série de reuniões especiais que fui entender de fato por que veio a inspiração para esse hino. Ele estava conectado a Algo infinitamente maior. Depois o Pastor José Alberto dos Santos me apresentou ao parágrafo abaixo da Mensagem Qual é a Atração Sobre a Montanha, parágrafo esse que me havia passado por alto. Simplesmente Deus. Tudo Ele.



 São Carlos/ SP - Tabernáculo sob a responsabilidade do Pastor Lukemba Luansi. Reuniões Especiais com o Pastor Vin Dayal


 
Qual a Atração Sobre a Montanha ?

119 – Oh, lá haverá uma verdadeira chuva temporã e seródia nos últimos dias sobre aquele pequeno grupo que vem com Ele neste jumentinho, pobre e humilde, sem dúvida ou denominação, clamando, “Hosanas ao Rei que vem no Nome do Senhor!” Qual é o problema hoje? Qual é a atração da montanha?


        O Jumentinho e o Rei - Versão Estúdio ( Para Baixar em .mp3)
        Letra, Música e Violão: Eduardo Martins
        Arranjos, Piano e Strings: Abner Melo
        Harmônica: Gerson Silva


Lá vem o jumentinho
Conduzindo em seu caminho, o Rei
Pela estrada empoeirada, ficam marcas das pegadas
Que ele fez
A multidão se aglomera, o povo de desespera
Pra ver o Rei
E o jumentinho orgulhoso, por trazer montado em seu dorso
O Grande Rei

REFRÃO

Com cuidado, em seus lombos vem trazendo Emanuel
O Supremo Criador do mar, do céu
Que honra essa lhe coubera, conduzir sobre essa terra o Grande Rei
Era Deus, mais uma vez oculto em simplicidade,
Mas não se engane quem entrava na cidade
Sobre um jumentinho
Era sim, Sua Majestade, o Rei

Que cena da maior candura,
O Criador e a criatura, a caminhar
Alheios ao que se dissesse
Por que talvez um outro rei quisesse muito mais
Uma carruagem imponente, belos cavalos a sua frente
Ele rejeitou
Para assim em coisas tão sutís, nos mostrar que não está aqui
Nosso tesouro
( que não é prata e não é ouro )

Mas o quadro se recria e como foi naquele dia, em Jerusalém
Deus está aqui presente, andando em meio a essa gente,
Mas ninguém vê
Se a alguém possa interessar, quem sabe ao longe avistar
Por onde vai O Rei
Preste atenção nos elevados, nas campinas nos valados
Nos rincões

REFRÃO II

Faço vos saber, que o Rei não está em uma montaria
Mas num povo que Seu Nome anuncia
Bem ouvimos sua voz, convosco e em vós Eu estarei
E assim Deus, mais uma vez oculto em simplicidade
Está a viver, a caminhar pelas cidades
Por que em seu coração
Você conduz, o Rei

                                                       


                                              

Um comentário: